Thanks!


Estamos a chegar ao fim deste ano de 2016, ano de muitas decisões, ano em que cruzei o caminho de muitos de vós depois de abrir o meu coração no programa de televisão "E Se Fosse Consigo?", ano em que a minha vida deu uma enorme volta.
Confesso que não foi dos meus anos favoritos, fiz muitas amizades, foram ficando pelo caminho algumas pessoas que não tinham de todo a energia que quero à minha volta. Este ano de 2016 ensinou-me mais uma vez que a minha primeira impressão é a que tenho de segui sempre, e aqui não falo de aparências, falo sim, de energias, daquelas que me prendem ou afastam das pessoas.

***
On arrive à la fin de l’année 2016, année de décisions, année pendant lequel j’ai croisé la plupart d’entre vous après avoir ouvert mon cœur à la télé pour l’émission portugaise “E Se Fosse Consigo?”, année pendant laquelle ma vie a changé complètement.
J’avoue que cette dernière année ne fera pas partie de mes favorites, j’en ai fait des amis, d’autres sont restés derrière car leur énergie ne faisait pas du tout partie de ce que je veux garder dans ma vie. Cette année de 2016 m’a appris encore une fois que ma première impression c’est toujours celle que je dois suivre, et là je ne parle pas du tout d’apparences, je parle des énergies, de celles qui nous attachent ou éloignent de quelqu’un.

Yellow sunshine



Se há coisa que passei a gostar de vestir desde que ando na rua de cabeça erguida é um bonito casaco colorido. E por sinal, este natal pedi um casaco amarelinho que me faltava no roupeiro. 
Aqui está ele, de corte direito, versátil e que dará a qualquer look um ar mais divertido graças à sua cor.

***
S’il y a une chose que j’adore porter depuis que je marche la tête haute c’est des manteaux colorés. Et en plus, ce noël j’en ai demandé un manteau jaune qui manquait dans ma garde-robe.
Et le voilà, une coupe droite, versatile et qui donnera une touche amusante à n’importe quel genre de tenue dû à sa couleur.

À minha miúda J.


A J. é uma das miúdas que encontrei graças ao blog. Uma miúda gira que dói (e não, não sou daquelas que diz isto a todas) na minha definição de beleza, uns cabelos fantásticos e basicamente uma estudante com notas que mostram bem o quanto é dedicada e estudiosa.
Mas, porque vos falo eu da J.? Pelo simples facto de que ela é a minha "mana mais nova" adotiva e tal como eu ela tem um corpo fora dos padrões que a sociedade exige como aceitáveis. E é comigo que vai desabafando as suas inseguranças e vivências. Tenho mesmo pena de não a ter por perto porque me custa não lhe poder dar a força diária que precisa para levantar a cabeça, enfrentar o mundo e ser completamente livre. Tenho pena porque a J. é uma mulher fantástica e não merece a maldade de uma sociedade que se acha dona da razão e apta a comentar a vida e escolhas dos outros. Podem por favor avisar na televisão e nas redes sociais que o corpo de cada um só diz respeito a si próprio?! É que esta informação parece tão óbvia que até faz confusão a quantidade de pessoas que se esquece disso diariamente.

My Christmas Outfit


Como já vos disse anteriormente esta altura do natal para mim não combina obrigatoriamente com lantejoulas, nem vestidos de alças. Nesta altura as temperaturas por aqui já descem muito abaixo dos zero graus e eu quero é coisas mais quentinhas, mas práticas para poder estar à vontade entre familia e amigos, ou até mesmo para o passeio de dia 25 como é habitual.

***
Comme je vous ai déjà dit auparavant, les fêtes de noël pour moi ne veulent pas dire obligatoirement paillettes, sequins et compagnie. En ce moment les températures par ici sont déjà bien descendues au-dessus des zéro degré et donc je veux des choses bien chaudes, mais confortables pour être à l’aise avec la famille et les amis, ou même pour notre habituelle promenade du 25.

Christmas Time #2

Porque para mim estas festas de fim-de-ano não combinam obrigatoriamente com brilhos, lantejoulas e companhia, por isso hoje partilho convosco as minhas escolhas com duas saias que adoro e tudo num estilo mais romântico. Proponho-vos peças acessíveis e sobretudo possíveis de utilizar durante todo o ano.
Espero que se inspirem porque eu estou apaixonada por todas as peças que vos mostro hoje.

***

Pour moi ces fêtes de fin d'année ne riment pas obligatoirement avec des paillettes, sequins et compagnie, donc je partage avec vous mes choix avec deux jupes que j'adore et surtout dans un style plus romantique. Je vous propose des pièces accessibles et surtout ce sont des pièces qu'on peut porter pendant toute l'année.
J'espère que ça vous inspire car moi je suis amoureuse de toutes les pièces que je vous montre aujourd'hui.


Outfit #1


Outfit #2

Curly Hair


Foi já com mais de 18 anos que aceitei definitivamente os meus caracóis. O meu marido e os meus filhos viram-me uma única vez de cabelo esticado, no dia em que participei no dia do modelo XL, de resto sempre usei o meu cabelo ao natural.
O ano passado como sabem, cortei o meu cabelo bastante curtinho e acreditem ou não ele cresceu muito e mais saudável. Todos temos receio em cortar o cabelo, mas se o tiverem em mau estado acreditem que vale a pena dar o passo e cortar, depois verão como nasce mais bonito.

Mas, hoje quero falar-vos de como arranjo o meu cabelo porque ao partilhar na página do Facebook o meu óleo favorito percebi que havia imensa gente que não conhecia.

***
J’avais déjà 18 ans quand j’ai accepté définitivement mes cheveux bouclés. Mon mari et mes enfants ne m’ont vu qu’une fois avec des cheveux lisses et c’était le jour de l'evènement Dia do modelo, sinon ça a toujours été avec mes cheveux naturels.
L’année dernière comme vous le savez, j’ai coupé mes cheveux très courts et croyez-moi ça a déjà bien poussé et en très bonne santé. On a tous un peu peur de couper les cheveux, mais s’ils sont en mauvais état coupez-les sans hésiter car ça vaut vraiment la peine, après vous verrez comme ils pousseront beaucoup mieux et plus jolis.

Mais, aujourd’hui je veux vous parler de comment je traite mes cheveux car en partageant sur la page facebook du blog mon huile préférée je me suis rendue compte qu’il y avait beaucoup de gens qui ne le connaissaient pas.

Advent Calendar #3 and #4

A determinada altura pensei em deixar as nossas atividades do calendário do advento para o fim e partilhar tudinho no final. Mas, percebi que gostavam de acompanhar aquilo que vamos fazendo de cada vez que abrimos uma casinha.
Por isso, irei fazê-lo uma vez por semana com o resumo daquilo que fizemos.
Como já tinha partilhado o dia 1 e o dia 2, partilho agora o 3 e 4 para que possamos assim ter as semanas completas.


***
À un certain moment je me suis dit qu'il serait mieux de partager notre calendrier de l'avent qu'à la fin. Mais, j'ai compris que certaines d'entre vous aimait accompagner les activités qu'on faisait chaque jour.
C'est donc pour ça que je partagerai avec vous toutes les activités, mais une fois par semaine en résumant ce que nous avons fait.
Comme j'avais déjà partagé avec vous le jour 1 et 2, je partage maintenant le 3 et 4 pour qu'on puisse après commencer avec les semaines complètes.

Christmas Time #1

Foi em conversa com uma miúda que adoro que cheguei à conclusão que afinal não sou a única a achar que vestidinhos de lantejoulas, de alças não são propriamente a melhor escolha para esta altura do ano. Sim, são muito bonitos, mas o frio por estas bandas lembra-me logo que aquilo será para outras ocasiões.
E depois existem aqueles almoços ou jantares de Natal em que toda a gente se veste sem grandes produções e aparecer com algo mais arrojado seria como candidatar-se ao lugar do pinheirinho de Natal.
Por isso, minhas amigas, hoje partilho convosco uns looks que eu vestiria (e muito provavelmente vestirei) para um almoço ou jantar de Natal com a familia ou até para o brunch de dia 25 em que juntamos familia e amigos.

Espero que gostem e como poderão ver os detalhes fazem mais uma vez a diferença num look constituido por peças que usamos no dia-a-dia.

***

C'est en parlant avec une fille que j'adore que je me suis dit qu'en fin de compte je ne suis pas la seule à trouver les robes en sequin, avec des bretelles toutes fines ne sont pas vraiment le meilleur choix pour cette saison. Oui, ils sont très jolis, mais le froid qui se fait sentir par ici me fais dire que ce sera pour d'autres occasions.
Et après on a les déjeuners ou les soupers de noël où tout le monde s'habille comme tous les jours et venir avec quelque chose de plus extravagant serait se proposer au rôle de sapin de noël chez la famille.
C'est pour ça que je partage avec vous des tenues que je porterai (et que très probablement je mettrai) pour un déjeuner ou souper de noël avec la famille ou même pour le brunch du 25 entre famille ou amis.

J'espère que vous aimez et comme vous le voyez ce sont les détails qui feront la différence dans une tenue avec des pièces de tous les jours.

A minha menina.

Estava numa das minhas sessões de hipnoterapia, e ao contrário daquilo que pensam, eu lembro-me de cada emoção, situação vivida enquanto "mergulhava" naquele "sono profundo".
Ela dizia-me para eu viajar até aquela primeira memória, vincada no meu corpo, aquela memória que me rasgou a alma e nunca mais me deixou ser a criança que eu devia ter sido. Doeu tanto, tremi, encolhi-me e chorei muito. Vi ali a Ana, aquela miúda de quase 8 anos, tão branquinha. Cabelos curtinhos encaracolados e o olhar tão vazio, perdido a fixar o nada que sentia.
Chorei, chorei muito. Estava ali eu a Ana, agora mulher adulta a olhar para o meu eu, a ser espectadora daquilo que me rasgou a alma. Tão gelada e imóvel.
Lembro-me de cada palavra que ela me disse, "Pegue nela Ana, pegue nessa menina que aí vê.". Enquanto respirava um gelo inexplicável, baixei-me e peguei-lhe ao colo e abracei como abraço os meus filhos. Como se o mundo estivesse a acabar e eu quisesse proteger aquela menina. Estava vazia. Sentei-me na beira de um muro baixinho, ela estava ali, sentada ao meu lado como se eu fosse agora a sua proteção. Eu chorava e ela nada. Dei-lhe a mão, ela olhou-me e deitou a cabeça nas minhas pernas de adulta. Baixei a cabeça e ouvi-me dizer "eu estou aqui".
Ela acordou-me. Disse-me que era aquela a minha missão no momento, cuidar daquela Ana pequenina como se fosse minha filha. Limpar o sangue que lhe escorria das feridas, reconstruir aquela menina para que crescesse e se tornasse numa só em fusão com a Ana adulta.
Foram várias sessões em que nos reencontrámos. Em que a "tirei dali", daquele momento, daquele espaço, daquelas pessoas. Fui "lá atrás" reconstruir cada ferida do passado. Fui lá e redesenhei aquela menina que nunca pôde ser menina.

Há uns meses no facebook, partilhavam fotos de infância. Nunca tive uma. Lembro-me bem de como era a partir dos 4 anos... onde as memórias se foram gravando. Nunca digam que aquilo que fazem hoje a uma criança ela esquecerá. Nunca digam isso, (in)felizmente quando as situações nos marcam obrigamo-nos a recordar aquele momento vezes sem conta durante os dias, meses, anos que se seguem. Não sei se por nos doer, se pelo sentimento que gera em nós. Mas ficam sim, durante anos, durante uma vida.
Na altura não pude partilhar foto nenhuma, mas ontem, recebi aquilo que me gelou, fotos minhas. A dias de completar 32 anos, recebo graças a uma antiga vizinha (é dela a mão que me segura numa das fotos), umas fotos onde eu apareço. Abri as fotos estava no carro, com os meus filhos sentados no banco de trás, com o marido a conduzir. Bloqueei. E as lágrimas caíram sem que eu as conseguisse controlar. Estava ali a imagem daquela miúda que eu vi nas sessões de hipnoterapia, aquela miúda que apesar de já ter levado muita porrada, mal sonhava o que ainda iria sofrer. Aquela miúda que sempre quiseram que fosse rapaz estava ali agora a olhar para mim novamente. Foi um resto de dia para esquecer. E ele, ele respeitou aquela ferida, que por muito sarada que esteja será sempre uma cicatriz.
Ele, ele que me deu o abraço enquanto eu me aninhava e protegia entre os braços dele. Ele que ouviu o meu silêncio, me retirou o cabelo da cara e me beijou a testa disse longos minutos depois do meu cansaço quase vencer "Dorme bem meu amor. Já passou. Eu e os filhos estaremos sempre aqui".
Ele é a primeira pessoa que ama incondicionalmente quem eu realmente sou.
Adormeci com a Ana menina encostada a mim. Acordei a Ana Mulher que sou.

Por muito que a vida tenha sido dura, por muito caminho já feito é natural existirem momentos em que tudo desaba. Mas, mais importante é reerguer cada peça no dia seguinte. Acreditem, a Ana menina aparecerá muito provavelmente mais vezes na minha vida porque a Ana Mulher sabe que consegue e pode tomar sempre conta dela.


Portugal Curvy #9 - Military

E cá estamos nós novamente nesta primeira segunda-feira de Dezembro para vos mostrar mais uns quantos outfits inspirados desta vez num tema escolhido pela Cláudia e pela Lane do blog Mulher XL.
E elas decidiram-nos por à prova com o tema "feminina em militar". Confesso que sempre tive uma certa aversão aquele padrão camuflado, como se de um tropa se tratasse. Por isso, escolhi o meu casaco de inspiração militar preto que eu adoro pois acho-o tão requintado com os seus botões dourados que teria de ser a minha peça principal.
Não me decidi pelo óbvio eu sei, mas pensei naqueles militares que fazem desfiles em cima de um cavalo, adoro a sua postura e charme. 
Espero que gostem desta mistura de estilos e sobretudo das peças que fazem a diferença pelos seus detalhes. Falamos desta blusa encontrada nos tamanhos standard da H&M?! Sou uma fã incondicional de folhos e folhinhos!

***
Et nous voilà de retour ce premier lundi du mois de décembre pour vous montrer quelques tenues inspirées sur le thème choisi par Cláudia et Lane du blog Mulher XL.
Et ce sont elles qui ont choisit le thème "féminine en militaire". J'avoue que je n'ai jamais aimé le camouflé, comme si on était à l'armée. C'est donc pour cela que j'ai choisit mon manteau d'inspiration militaire noir comme pièce principale, je l'adore car il est vraiment classe avec ses boutons dorés.
Je sais, je n'ai pas choisi le plus sûr, mais en regardant cette tenue j'ai imaginé les chevaliers de l'armée qui ont toujours une tenue et attitude très classe.
J'espère que vous aimez ce mélange de styles et surtout les pièces qui font la différence grâce à ses détails. Parlons de cette blouse que j'ai déniché au rayon standard de chez H&M. Je suis une fanatique de volants sur les vêtements!











Leggings: H&M
Blouse/Blusa: H&M
Chaussures: Asos

Como já vos disse anteriormente, é óbvio que jamais vos deixaria de fora e por isso gostava que me mostrassem a vossa ideia de outfit com inspiração militar. Para isso, basta que me enviem a vossa participação, seja por email ou até mesmo por mensagem privada na página Facebook do blog. 
Não hesitem também em partilhar nas redes sociais utilizando a hashtag #PortugalCurvy! Conto convosco!

Se ainda não o fizeram, não se esqueçam também de visitar as participantes do projeto Portugal Curvy, tenho a certeza que inspiração não vos faltará!

***
Comme je vous ai déjà dit, je ne vous laisserai jamais de côté et c’est donc pour cela que j’aimerai voir vos idées de tenues féminines en militaire. Pour ça, il vous suffit de m’envoyer votre participation via email ou par message privé sur la page Facebook du blog. 
N’hésitez pas à partager sur les réseaux sociaux avec l’hashtag #PortugalCurvy!
Je compte sur vous!

Si vous ne l’avez pas encore fait, n’oubliez pas de jeter un coup d’œil aux autres participantes du projet Portugal Curvy, je suis sûre que vous ne manquerez pas d’inspiration!

Big Girls Love Fashion Too: http://bit.ly/BGLFTPortugalCurvy
B-hynd Her: http://bit.ly/2eMyan2
Cubanna: http://bit.ly/2eCSgmb
Diário de uma Mulher (im)perfeita - http://bit.ly/248rA1J
Dreams of a Curvy Girl: http://bit.ly/1Tig7BF
Grande Sonhadora: http://bit.ly/2fvlOjh
Manual da Moda: http://bit.ly/1QJ4RMJ
Mary's Big Closet: http://bit.ly/1X08G7D
Mulher XL: http://bit.ly/1WuAccS

Advent Calendar #2


Ontem foi mais um dia em que um momento a cinco nos esperava. Logo pela manhã, antes de irem para a escola eles correm para a frente do calendário do advento na expectativa de tirarem mais um papelinho.
E ontem aquilo que nos esperava era um passeio ao luar. Sim, para eles é algo muito raro. Um passeio à noite. Verdade que as únicas experiências deles no que diz respeito ao andar na rua à noite, resumem-se a alguns dias nas férias.
Por isso, mesmo com a lua escondida, com o frio que nos esperava lá fomos nós até um dos primeiros sítios que conhecemos quando aqui chegámos. Cheios de recordações vimos o quanto aquele sítio já mudou em quatro anos, mas continua a ser um poço de boas histórias.

Hoje novas aventuras nos esperam!
E para a semana aqui neste cantinho deixarei umas quantas opções para as festas de fim-de-ano que estão quase, quase a chegar.


***

Hier on avait encore un moment à cinq qui nous attendait dans le calendrier de l'avent. très tôt le matin, avant d'aller à l'école mes enfants restent devant ce calendrier dans l'expectative de prendre un nouveau petit papier.
Et hier ce qui nous attendait c'était une promenade au clair de la lune. Oui, pour eux c'est quelque chose de très rare. Une promenade au clair de la lune. À vrai dire les seules expériences qu'ils ont eu en ce qui concerne les promenades la nuit se résument à quelques jours pendant les vacances.
Donc, même avec la lune bien cachée, avec le froid qui nous attendait, nous sommes allés jusqu'à un des premiers endroits que nous avons découvert quand on est arrivés dans ce pays. Pleins de souvenirs dans la tête nous avons vu comment cet endroit a changé en à peine quatre ans, mais ça continue à être un puits de bons souvenirs.

Aujourd'hui de nouvelles aventures nous attendent!
Et la semaine prochaine je partagerai avec vous des suggestions pour les fêtes de fin d'année qui arrivent à grand pas.


Advent Calendar #1


Ontem demos então inicio ao nosso calendário do advento. Para o primeiro dia esperava-nos um jantar onde diríamos a cada um dos membros da nossa família, três qualidades que nos definissem. No fim escolhemos cada um uma palavra para deixar registado. Quero muito que daqui a uns anos a internet nos permita recordar tudo aquilo que nos foi definindo e nos mostre como evoluímos aos olhos uns dos outros. (Espero bem que o meu marido continue a chamar-me de boa mesmo daqui a uns anos!). 
Mais logo o desafio é outro!
E vocês por aí que vos ofereceu o calendário do advento?


Hier on a commencé notre calendrier de l’avent. Pour le premier jour on a eu droit à un dîner pendant lequel nous avons partagé avec chaque membre de la famille, trois qualités qui nous définissent. À la fin, chacun a choisi un seul mot pour garder comme souvenir. Je veux vraiment dans quelques années avoir la possibilité de revenir sur internet et revivre tout ce que nous avons dit et voir comment nous avons évolué aux yeux de chacun. (J’espère bien que mon mari continuera à me dire que je suis bonne même dans quelques années !).
Ce soir un autre défi nous attend !
Et vous ? Qu’est-ce que le calendrier de l’avent vous a offert pour ce premier jour ?

À Maria...


A Maria é uma leitora minha que já me acompanha à algum tempo. A Maria deixou-me um comentário que me fez chorar tanto, que me fez viajar no tempo e parar na fase da minha vida que me custa imenso lembrar.

A Maria diz-me vestir um número. Um NÚMERO que não lhe agrada. Que a derrota e a deixa sem confiança. A Maria resumiu a sua autoestima a um único número. A um tamanho grande. Mas, a Maria não é a única. A Ana, a Ana também já foi uma Maria.

A MariaAna é assim que tratarei o meu eu antigo, já se resumiu a um número, a um número 54. Mas, antes de chegar aquele número a Ana já não era Ana. E é isso que eu gostava de vos contar.
Eu não acredito que seja o nosso tamanho maior ou mais pequeno que nos derrote, não acredito que a autoestima, a confiança, a coragem, o ser decidida se resume a uma imagem. Não acredito nisso.
Sei que já fui muito mais magra, sei que continuei sempre a andar com os olhos postos no chão. Que jamais usaria o meu casaco vermelho ou o meu vestido justo mesmo pesando 40kg a menos. Eu sei que não usei. Acredita Maria que não é um número mais baixo que te vai fazer gritar na rua "eu sou maravilhosa". Não é um corpo mais magro que te dará a coragem de enfrentar as criticas de um mundo que se esqueceu dos sentimentos do ser humano.

Maria, eu sei que estás por aqui há tempo suficiente para me conheceres um bocadinho, sei também que já te deixei escrito que a mudança começa lá dentro, naquela capacidade em aceitar quem és e trabalhar naquilo que te pode incomodar. Sabes que a MariaAna só conseguiu erguer-se quando trabalhou o que lhe ia dentro do coração... ou melhor, da cabeça.
Olha para ti! Quem és? De que tens medo? O que te pesa? Sim, Maria, acredita que eu sei que a dor pesa e que por mais que queiramos esconder uma dor ela estará por lá sempre, mesmo que escondida.
Sabes, eu acredito que todos os que não aceitam a pessoa que são carregam uma dor, que por vezes acham que não é tanta dor assim pois aprenderam a escondê-la. Podemos esconder uma dor aos olhos dos outros. Claro que sim. Mas poderemos nós esconder uma dor que é nossa de nós próprios? Caramba não. Acredita que não. E até pode doer, porque acredita que vai doer enfrentá-la. Fazer frente aquilo que dói é o nosso primeiro grande passo de coragem, aquela que ficará para nós como uma força que nos tornará invencíveis.

Sabes Maria, a MariaAna deixou de acompanhar os filhos à praia, deixou de correr e passear com eles na rua. A Ana que sou hoje chora vezes sem conta por tudo aquilo que se proibiu fazer com aqueles que ama acima de tudo. Olha para a tua miúda, já viste quem criaste? Já viste onde chegou? O que conquistou? E sabes uma coisa Maria, na vida nada mais valorizante existe que ser pai/mãe a sério, daqueles que acompanham, que dão colo ou que dizem não.
Sabes Maria, vivi muitos anos num mundo de "se". "Se os meus pais tivessem sido pais". "Se eu tivesse recebido pais a sério teria estudado ainda mais". Se... e tantos se...
Hoje não vivo mais com "se", mas tudo isto para te dizer que não podes, não podes mesmo resumir-te a um número. Caramba Maria! Um número leva-te a ter falta de confiança em ti? Leva-te a achar que não és linda? Oh Maria pudesse eu abraçar-te agora e diria ao teu ouvido "Como eu gostava ter tido uma Mãe orgulhosa ao ver-me receber o resultado do nosso esforço". Maria olha bem para quem és e verás que o número é só um detalhe de quem vende roupa.

Sabes, podem dizer que "falar é fácil", mas esta Ana que achas linda, corajosa, confiante já foi uma MariaAna. Já. Já se resumiu a um nada. A um 54 vazio por dentro.

Não deixes que a tua passagem se resuma a um número, não deixes. Vai lá buscar aquela camisa com que tu dizes parecer um saco de batatas. Vai lá e veste umas calças de ganga por baixo e para que o teu 1m60 se veja bem abre os botões todos até à cintura. Levanta-me essa cabeça e vai desfilar para o mundo saber que nasceu mais uma grande Mulher.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...