My other side...


Hoje estão de volta à escola, o mais velho começou aquilo que por aqui chamam o ciclo. Uma viragem, uma porta de entrada para este mundo "dos grandes". Acompanhei-o perto da escola, deixei-o seguir para junto dos amigos, um beijinho e um acenar de mãos onde o coração fica apertado. Mas apertado porquê? Se ele não vai fugir e daqui a umas horas estará de volta à nossa bolha onde me contará todas as suas aventuras?!
Apertado porque por muito que o queira ver voar, ser feliz e independente, guardo em mim sempre a necessidade do seu sorriso, das suas conversas e daquele abraço prolongado que me dá todas as manhãs. Ele está a crescer, não rápido, não. Está a crescer ao ritmo dele, que respeito, mas confesso que sinto um aperto por ver que sou "só" a Mãe dele e que existe um mundo inteiro para ele descobrir sem depender mais de mim.
Os outros dois, voltaram à mesma escola, às mesmas caras, ao mesmo funcionamento, onde todos nos conhecemos, onde os amigos da bola ou vizinhos se encontram no recreio, afinal vivemos numa vila pequena e tudo vira a nossa casa.

Há uns tempos, quando partilhei convosco esta nossa escolha, recebi um comentário que me surpreendeu, nem positivamente nem negativamente, foi apenas um comentário que me empurrou para a minha situação e me fez pensar como é que nós nos organizámos para que eu não sentisse o mesmo.
Uma leitora comentou comigo que passou uns tempos em casa para se dedicar à família, mas que foi uma experiência negativa porque se sentiu usada, como empregada doméstica e nada valorizada por tudo o que fazia.
Foi então que dei por mim a pensar, "Ana como é que fizeste para não te sentires assim?". E honestamente, não fiz, fizemos.
Aquilo que fizemos foi por os pontos nos is desde muito cedo. Eu não iria nunca na vida ser empregada doméstica deles. Os nossos hábitos e a educação dos nossos filhos em nada se iriam alterar. Ou seja, desde cedo que todos temos responsabilidades aqui em casa. Desde sempre toda a gente é responsável por apanhar a sua roupa do dia anterior e por no cesto para lavar. Desde sempre os meus filhos brincam e espalham os brinquedos, mas são também eles os responsáveis pela arrumação dos mesmos. Eu continuo a ser a cozinheira preferida deles mesmo o pai cozinhando de vez em quando, continuo a ser eu que arrumo e dobro a roupa como gosto e como os habituei. Nada mudou nos nossos hábitos como família. O respeito impera e sobretudo o valor de cada um continua intacto, porque somos seres humanos muito antes de profissionais. O nosso valor tem de ser construído com base nos nossos atos e naquilo que transmitimos ao mundo, não em função do nosso estatuto social ou profissão.
Por isso minha gente, sim, eu continuo a ser a Ana com as exigências normais de uma Mãe, Mulher e eles idem.

Se um dia decidirem tomar esta decisão de cuidar da vossa casa/família a tempo inteiro lembrem-se que o primeiro passo é sobretudo esclarecer bem as coisas, que tudo fique bem claro para todos incluindo as crianças. Não vale a pena calarem aquilo que pensam ou sentem na esperança de que tudo se arranjará. Como veem é uma questão que se aplica a tudo na vida, ainda mais quando tomamos uma decisão que afetará todos os membros da vossa família.

Hoje aos olhos deles sou aquilo que sempre fui, a Mãe, aquela que lhes ralha, mas que abraça como ninguém. Aquela que ensinou a por a roupa no cesto, mas que também ajudou nos primeiros passos. Aquela que lhes diz para por a mesa, mas também aquela que lhes prepara o comer que eles adoram. Hoje, tal como ontem continuo a ser a Mãe deles, que trabalhava nos computadores e que agora os acorda todas as manhãs e lhes prepara o pequeno-almoço, almoço, lanche e jantar.

French Curves: Maxi Dress


Nous voilà de retour avec le challenge des French Curves. Comme je vous l'ai déjà dit ce challenge a été crée par Gaëlle Prudencio, une des blogueuses qui m'a le plus inspiré pendant mon chemin vers l'acceptation de soi. Ce challenge consiste à vous proposer une tenue autour d'un thème tous les 16 de chaque mois. 
Et pour ce mois d'août, Gaëlle nous invite à montrer une tenue en maxi, que ce soit jupe ou robe l'important c'est que ce soit bien long. Et honnêtement j'adore ça. Si vous me suivez sur le blog vous savez que les pièces maxi sont bien présentes dans ma garde-robe.
Je n'aurai jamais pensé dire ça mais dernièrement que ce soit dans la mode ou dans la décoration je suis devenue une fan du noir et blanc, je pense que vous le verrez très souvent sur le blog. 
Pour le challenge de ce mois-ci j'ai choisi cette robe longue achetée lors des soldes qui en plus de ses couleurs m'a convaincu grâce à son décolleté, riche en détails mais surtout qui a la coupe dont je suis amoureuse cette saison. Comme son imprimé graphique est déjà bien présent je ne voulais pas d'accessoires très voyants. Un bracelet dans le même esprit graphique, une seule boucle-d'oreille qui se marie parfaitement à mes cheveux et à la robe ainsi que quelques bagues de phalanges. Pour les chaussures vu que ces photos ont été prises lors d'une dégustation de vins ainsi qu'une balade au milieu des vignes je voulais mes sandales compensées qui me permettaient de marcher confortablement et au même temps me donnaient la hauteur suffisante pour ne pas trébucher. Voilà une tenue qui est très facile à porter mais qui nous donne un air moderne et confortable.

Le challenge continue sur la page facebook FrenchCurves ainsi que sur Instagram avec l'hashtag #FrenchCurves.
Montrez-nous vos tenues inspirées sur le thème "Maxi".



Cá estamos nós de novo com o challenge das French Curves. Como já vos disse este challenge foi criado pela Gaëlle Prudencio, uma das bloggers que me inspirou durante o meu caminho para a minha auto-aceitação. Este challenge consiste em vos propor um outfit em torno de um tema a dia 16 de cada mês.
E para este mês de agosto, a Gaëlle convidou-nos a mostrar um maxi outfit, fosse com saia ou com vestido o importante é que fosse longo. E honestamente adoro. Se já seguem o blog sabem que peças maxi estão bem presentes no meu roupeiro.
Nunca pensei dizer isto, mas ultimamente seja na moda ou na decoração eu tornei-me numa fã de preto e branco, acho que poderão ver assiduamente esta combinação de cores por aqui.
Para o challenge deste mês escolhi um vestido comprido que comprei durante os saldos, que para além das cores convenceu-me pelo seu decote, rico em detalhes, mas sobretudo porque tem o corte pelo qual ando apaixonada.
Como o desenho gráfico já é bastante marcante não quis acessórios muito vistosos. Uma pulseira no mesmo estilo gráfico, um só brinco que combina na perfeição com o meu cabelo e com o vestido assim como alguns anéis de falange. Para os sapatos visto que as fotos foram tiradas aquando uma prova de vinhos assim como um passeio pelas vinhas eu escolhi as minhas sandálias compensadas qui me permitiram andar confortável e ao mesmo tempo davam-me mais altura para não tropeçar no vestido.
É um outfit muito fácil de compor, mas que nos dá sempre um ar moderno e confortável.

O challenge continua na página do facebook das FrenchCurves assim como no Instagram onde devem usar o hashtag #FrenchCurves.
Mostrem-nos os vossos outfits inspirados no tema "Pool Side".















Robe/ Vestido: H&M
Sandales/ Sandálias: +S Accessoires

N'hésitez pas à visiter les autres French Curves, beaucoup d'inspiration vous attend! 
***
Não hesitem em visitar as/os outras/outros French Curves, tenho a certeza que inspiração não vos faltará!

Le Plat Pays, Bruges


Aujourd'hui je vous parle d'un endroit magique!
Quand je visite une nouvelle ville j'essaie toujours de trouver un petit endroit sympa où rester. Normalement comme c'est plus d'une nuit je cherche un Bed & Breakfast. C'est là où je me sens le mieux accueillie et où on trouve les meilleurs conseils pour connaître la ville sans que ce soit d'un point de vue touristique.
Et, Le Plat Pays à Bruges n'a pas été une exception.
Le Plat Pays c'est une ferme magnifique à seulement quelques minutes du centre ville de Bruges.
Avec une décoration délicate, romantique et plein d'animaux, nous nous sommes vraiment coupés du reste du monde. Il n'y a pas mieux que le calme et romantisme de cette petite (grande) ferme qui possède une magnifique piscine naturelle. Malheureusement nous n'avons pas pu en profiter car la chaleur n'était pas au rendez-vous.
Un petit déjeuner très riche avec des produits de la ferme et bio, nous nous sommes régalés.
Ce Bed & Breakfast met à disposition des clients (on nous traite pas comme des clients mais comme de vrais invités) des places de parking ainsi que des vélos gratuitement.
Je vous laisse voyager et profiter de ce bel endroit.

Hoje falo-vos de um lugar mágico!
Quando visito uma nova cidade, tento sempre encontrar um lugar especial para ficar. Como é normalmente mais de uma noite, procuro umm Bed & Breakfast. São por norma os sítios onde eu me sinto bem recebida e onde encontro as melhores dicas para conhecer a cidade, sem que seja de um ponto de vista turístico.
E, Le Plat Pays em Bruges não foi uma excepção. 
Le Plat Pays é uma fazenda linda a poucos minutos do centro da cidade de Bruges.
Com uma decoração delicada, romântica e cheia de animais, sentimo-nos isolados do mundo. Para começar as férias, não há melhor do que a calma e romantismo desta pequena (grande) fazenda que possuí também uma bela piscina natural. Infelizmente nós não pudemos aproveitar, que o tempo não estava para isso.
É servido um pequeno-almoço, rico com produtos agrícolas e biológicos, preparado pela dona da casa, que é de uma simpatia fora do comum.
Este Bed & Breakfast oferece aos clientes (honestamente não me senti tratada como cliente, mas como uma convidada) estacionamento e o uso de bicicletas gratuitamente.
Deixo-vos viajar e desfrutar deste sítio maravilhoso.

























Beverhoutstraat 37, 8020 Oostkamp, Bélgica

Ceci N'EST PAS un post publicitaire
Este NÃO É um post patrocinado

White Jeans


Combien de fois on regarde un jeans blanc et on se dit que c'est pas pour nous? Moi je l'ai pensé pendant des années, jusqu'au jour où j'en ai trouvé une pair qui n'était pas transparente et donc je me suis laisser convaincre. Depuis, je ne vis pas sans les jeans blancs.
En faisant les magasins j'ai trouvé ce petit gilet en soldes et je ne l'ai plus lâché. Je trouve que c'est une solution idéale pour les journées un peu frisquettes. Et si vous n'acceptez pas très bien vos bras, voilà le genre de gilet que je peux vous conseiller, un tissu léger et manches trois quarts. Mais, vous le savez, rien de mieux qu'accepter son corps et vivre librement.
Comme ce gilet a des petits détails en burgundy je me suis dit qu'il était temps de sortir mes chaussures à vernis, vous savez que j'aime les talons bien plus hauts, mais pour marcher plus longtemps rien de plus confortable.
Toujours dans le même esprit des motifs aztèques du petit gilet j'ai pris mon petit sac en noir et blanc et quelques accessoires pour la touche finale.


Quantas vezes olhámos para uns jeans brancos e pensámos que não eram para nós? Eu confesso que o pensei durante anos, até ao dia em que encontrei o par que não era transparente e foi então que me convenceram. Desde então, não vivo sem uns jeans brancos.
Foi num dia de shopping que encontrei este casaquinho em saldos e não o larguei mais. Acho-o a solução ideal para os dias mais frescos. E se ainda não aceitam totalmente os vossos braços, este é o estilo de casaquinho que vos recomendo, em tecido ligeiro e mangas três quartos. Mas, já sabem, nada melhor que aceitar o próprio corpo e viver livremente.
Como este casaquinho tem detalhes em burgundy disse para mim mesma que estava na hora de usar os meus sapatos em verniz, sabem que eu gosto de saltos bem mais altos, mas para andar durante muito tempo nada de mais confortável.

Continuando no mesmo estilos dos detalhes aztecas do casaquinho escolhi a minha mala em preto e branco e alguns acessórios para dar o toque final.









Jeans: Primark
Top: GAP
Gilet/ Casaco: H&M
Chaussures/ Sapatos: New Look
Sac/ Mala: H&M
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...