Mais uma voltinha!

Foi ontem que uma amiga me enviou uma mensagem onde me dizia para ir espreitar uns comentários num blog português bastante conhecido. Ela sabia da decisão que eu tomara há uns meses atrás. A decisão de não voltar aquele espaço. Se fui leitora assídua durante uns tempos verdade seja dita que desisti de o fazer quando percebi que o que alimentava aquele espaço era (é) simplesmente uma energia negativa que se tornara pesada e destrutiva até para quem lê. 
Tinha comentado com esta amiga há uns meses atrás que aquele espaço era a imagem perfeita dos podres da sociedade. Afinal os comentários são moderados, mas as faltas de respeito entre leitores (e não só) são aprovadas, coisa que nunca entenderei.
Mas isso agora não interessa nada.

Como ela me enviou o link, fui ler e fiquei super feliz por ver que um "anónimo" me mencionou quando solicitaram Mulheres que inspiram os outros. OBRIGADA de coração! Mas, contem-me lá quem foi? Vá lá, deixa-me o teu nome e sente o meu abraço apertado por veres em mim uma inspiração!
Como deves imaginar depois de tudo o que escrevi mais acima sobre aquele espaço, jamais aceitaria testemunhar sabendo que chegaria a pessoas de energia e comportamentos/linguagem tão negativos.

Mas, depois apareceu um outro "anónimo" cheio de sabedoria, começando pela certeza com que escreve o meu nome. A sério, "Ana Martins"? A sério?! É que ainda por cima está escrito no cabeçalho do blog caramba!
Sendo que o inicio do comentário prometia o que veio a seguir não desiludiu ahahah.


Como devem imaginar, e para quem me conhece bem, sabem que jamais poderia calar-me ao ler aquelas palavras que além de me darem outro nome faziam de mim alguém que eu não sou.
Dei por mim a pensar em tudo o que me apetecia ter dito na cara daquela pessoa e achei por bem também partilhar convosco.

Primeiro deixem-me que vos diga que eu não aceito sequer que digam que me acho fashion, que significa isto?! Afinal as grandes vozes da moda sempre a associaram a liberdade. E enfiar-me em trapinhos para magras?! Quê?! Mas agora eu ando a fazer ginástica para caber em roupa que não é feita para o meu corpo? Ahahah não! Eu apenas uso a roupa que EU gosto, que não agrada a todos e ainda bem!

Com que então eu sou uma inspiração errada visto ser gorda e um atentado à saúde mental e física de quem me aprecia... devemos segundo a pessoa conhecedora da vida, ser inspirados sim, por pessoas que perderam peso, que se tornaram assim magras e que mantêm, independente de se sentir ou não bem, felizes, equilibradas. Segundo esta pessoa, o entrar dentro de um IMC aceitável e manter-se assim (seja qual for o custo) é que deve ser inspirador. Deve ser inspirador aquele que têm uma aparência física dita "normal" e aceitável para a sociedade. Está certinho então...
Outra coisa que me faz muita confusão é a banalidade com que escrevem ou dizem a palavra obesidade. Hoje em dia assim que se cruzam com um gordo a primeira palavra que lhe sai da boca é obesidade, assim como quando lhes aparece à frente alguém naturalmente magro... é anorético. Anda esta sociedade assim tão hipocondríaca?! Ou anda simplesmente cheia de falsas preocupações com o próximo?
Pelas palavras que escreveu deduz automaticamente que eu não tenho uma alimentação adequada, que não faço desporto e que necessito de apoio psicológico (caramba já fui muito mais magra, necessitava MUITO de acompanhamento psicológico e nunca me mandaram a uma consulta, agora que me sinto equilibrada emocionalmente chegam os chicos-espertos a dizerem o que necessito... ahhh estas contradições...) e que valorizo a obesidade. Eh pah! Eu juro que me questionei se aquela pessoa estava a falar de mim, mas depois lembrei-me do nome que escreveu e percebi que a pessoa em questão estava confusa e a necessitar de uns esclarecimentos.

Quem por aqui anda e já me vai conhecendo e acima de tudo sabe que eu defendo uma única coisa, bem-estar, amor-próprio e uma vida FELIZ independentemente do tamanho do corpo. Só quem quer falar de borla, julgar facilmente e procurar denegrir o outro pode resumir-me assim.
Tal como já vos disse, eu sei o quão aquelas bloggers plus size americanas e francesas me ajudaram a dar o primeiro passo para eu amar a pessoa que sou, o quão foi longa a jornada e o que precisei resolver na minha cabeça e no meu coração para poder dar o primeiro passo para sair de casa, para me inscrever num ginásio, para comprar roupa sem andar a chorar pelas lojas. Eu sei o quanto aquelas partilhas delas me ajudaram a renascer e a construir quem realmente sou, por isso sim, eu vou continuar por cá, a partilhar as minhas convicções, as minhas perdas e conquistas, na esperança de ajudar, inspirar muita gente a ser mais FELIZ, mais realizada e a fazer com que a sua própria vida valha a pena.
À pessoa que me indicou como inspiração, a essa, o meu gigante abraço carregado de uma energia que nunca mais será afetada por terceiros. Aquela energia boa que nos faz ser donas da (nossa) vida.

14 comentários:

  1. Tanto que eu gosto de ler o que escreves. Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E eu fico mesmo feliz em saber disso, afinal tudo o que escreve sai sem ser pensado. É mesmo saber que ainda existe gente que gosta de "conversar". Um grande beijinho

      Eliminar
  2. Brilhante Ana Nogueira :) nunca NOS devemos deixar rebaixar com aquilo que os outros sentem, pensem ou ate digam! Eu quando engordo compro roupa maior e quando emagreco a mesma coisa...nunca percebi aquelas pessoas que se recusam a vestir um numero acima e que até preferem andar desconfortaveis no dia-a-dia em prol de vestir um numero aprovado pela sociedade que no final ninguem sequer vê! Gosto de ti e da tua maneira de ser! Acima de tudo da tua tatuagem! Sei que mudaste o rumo do blog mas isso em nada influenciará quem Já o segue e que te conhece pela sinceridade que NOS tranpareces. Um Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. YES Michelle! Nem imaginas como amei ler-te! É exactamente o que penso.
      A minha tatuagem, diz tanto em tão pouco ;)
      Fico super feliz em saber que estes meus desabafos que se incluem neste novo caminho do blog não vos incomoda e sobretudo que continuam por cá para que possamos dar continuidade a estas conversas transparentes. Um grande beijinho

      Eliminar
  3. És uma inspiração sim senhora Ana! E deixa-me que te diga, estou a caminhar lentamente para a self-acceptance e espero um dia estar lá completamente, tal como tu. Pessoas que se escondem atrás da capa de "anónimo" para destilarem veneno e inseguranças de pouco valem, a meu ver. Beijinho e continua a ser como és.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Juro-te que ver alguém que segue o caminho de se aceitar, de se amar independentemente das escolhas de mudança (ou não) que faz é das coisas que me deixa com mais vontade de querer voltar aqui a este cantinho.
      É de uma liberdade incrivel este patamar de aceitação e amor-próprio. A vida torna-se tão mais leve que até estes comentários de gente inculta deixa de nos afectar e passamos a ser fortes o suficiente para lhes dar uma resposta à altura daquilo que nunca souberam.
      Um grande beijinho

      Eliminar
  4. Bom dia Querida Ana!
    Estou ainda "embezerrada" de sono e cansaço mas há coisas que me fe fazem despertar para a vida , mesmo muito ensonada!
    Os meus 63 aninhos (ai que lindeza de idade, rsrsrsr) já me permitem compreender que a maioria das pessoas tristes de coração e de cabeça, não sabem lidar com o sucesso da vidas dos outros, e como "moscas cegas" primeiro voam à toa, disparando para "onde calha" para em seguida pousarem numa lixeira fedorenta chamada inveja, a que eu gosto de chamar "antecâmara da morte"
    Se não lidam bem com o sucesso dos outros, ainda lidam pior com a inveja que é pior que lepra...corrói que se farta e destrói e mata a vida de quem a cultiva!
    Gosto da forma objectiva como coloca os pontos nos ii e o ~ nas restantes letras de dele precisam para se fazerem ler com sentido!
    Eu sei que faz parte das meninas Guerreiras, mas mesmo os guerreiros precisam de limpar armas e acima de tudo miminho e Paz !
    Tudo isto para dizer que gosto muito de si e que é para mim uma alegria acordar e vir ao pc dar uma espreitinha no seu cantinho e quase que sinto uma janela aberta para a frescura dos Alpes!
    Beijinhoooo e resto de dia feliz!!! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh Manela como eu amava tê-la mais perto de mim. Na minha vida. É um exemplo tão grande, tenho-lhe uma admiração que não se explica. As palavras que me deixa emocionam-me e fazem com que me torne a cada vez uma Mulher mais completa, tão mais rica em aprendizagem e mais uma vez, uma admiração que me faz sentir uma menina pequenina de olhos arregalados frente a si, com sede de beber da sua sabedoria e experiência. Em nada tem a ver com a idade, é sim esse saber que me deixa faminta de aprender.
      Obrigada, um obrigada gigante por me acompanhar, por estar por aqui. Por ter chegado à minha vida e ter ficado. Nunca me abandonou e isso tem um significado especial, que só eu sei e consigo dar valor.

      Que nunca nos falte este frescura dos Alpes.
      Um gigante abraço e um grande beijinho

      Eliminar
  5. Mais uma vez estiveste muito bem Ana! Estou tão cheia de que a aparência seja a primeira coisa que as pessoas retirem de nós. FARTA! A gordura, a idade, a beleza...Só por aqui se vê que esta sociedade perdeu tanto. Está cada vez mais vazia de sentimentos.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acreditas que ainda ontem falava com o marido sobre isso mesmo? A sociedade esqueceu-se da nossa essência. Os sentimentos, essa coisa que muitos dizem ser para os "frágeis", é afinal a grande força do ser humano, mas anda muita gente esquecida.
      Somos isso mesmo, uma bola de sentimentos. São eles que nos movem. Não é o estatuto social, nem as viagens e muito menos a conta bancária.
      Que possamos nós fazer a nossa parte <3
      Beijinhos

      Eliminar
  6. Independentemente do nosso peso e do nosso aspecto físico devemos sentir-nos bem connosco próprios. Já deixei para trás 57 kg e ainda tenho umm IMC algo elevado mas... não quero perder mais peso. Sinto-me bem assim, faz parte de mim ser fisicamente grande. Não combina comigo ser magra, tenho estrutura óssea grande o que me aumenta o îMC. E depois?
    Preciso, sim, de retirar o excesso de pele que me deixaram os 57 kg que perdi e os 2 filhos maravilhosos que tive. Tenho um compromisso com o cirurgião de manter o peso para poder encarar as cirurgias. Não quero retirar as ditas peles para ficar mais bonita, quero tirá-las porque me incomodam, porque abanam quando faço movimentos, porque não me sinto bem na praia, porque não posso usar mangas acima do cotovelo... simplesmente por razões práticas.
    E, sim, não estou sózinha. Tenho um companheiro que mostra claramente que o que sente por mim não depende do meu aspecto, que me apoia na minha decisão de encarar as cirurgias, por mim. Por ele... sou linda assim! E é magro, muito magro, sempre foi. Magro e muito alto o que realça ainda mais o facto de ser magro e o facto de eu ser gordinha. Nada disso interessa!
    Eu estou bem, ele está bem comigo...
    Nada depende do tamanho da minha roupa!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Teresa... TU és maravilhosa! E que grande lição aqui está. És tão eu e eu tão tu.
      Sabes, quando fiz a abdominoplastia (falarei em breve no blog) foi por isso mesmo, por incómodo e para melhorar o meu dia-a-dia. Se fui julgada, se meteram em questão o meu amor-próprio? Tenho a certeza que sim, afinal faz parte de muitos seres humanos a necessidade de desconstruir e descredibilizar o outro para se sentir melhor ou superior, mas achas que me afectou? Nadinha! Afinal eu dou os passos que quero e com a certeza dos meus pensamentos. Por isso em nada me sinto melindrada ao tomar decisões.
      Um grande beijinho e muita força nas próximas etapas :)

      Eliminar
  7. Ana boa noite.
    Sou uma seguidora recente do seu blog, que adoro, ja tive oportunidade de lhe dizer num post anterior.
    Nao estando eu mt a par do que se passa, concordo com tudo o que disse, deixemo nos de esconder atras de numeros, somos mt mais alem disso, tenho 45anos, meço 1.70m e peso 105kg, sou gorda sim...e depois??? faço o que fazem as magras...no meu emprego desempenho com o maior afinco, sou casada a 26anos, o meu marido e magrinho pesa 61kg, tenho uma vida normal, nao me sinto menos capaz que as outras pessoas... Ana continue assim e LINDA!! e superior a esse tipo de comentarios, um beijinho da Odete

    ResponderEliminar
  8. Bem, por esta não esperava. Vim ler o teu blog, tinha uns posts em atraso, pelos vistos. Fui eu que indiquei o teu nome/blog! Uma vez até "falámos" por comentários aqui no blog. Foi a propósito da tua entrevista à SIC. De facto, achei e acho-te inspiradora. Acho que na altura mencionei que não me revejo na luta que passaste para perder peso (ao contrário, eu coloquei aparelho há pouco tempo e emagreci e precisava de voltar a ganhar peso, o meu metabolismo é demasiado rápido, mas isso agora é outra história). Simplesmente transmites-me boas energias. Não sei explicar. :P E apesar de seres "conhecida" por causa do blog, para mim representas a Mulher, que deve saber e aprender a gostar de si. Enfim, espero que esteja tudo bem. E com esta não contava mesmo. :P Bjinhos

    ResponderEliminar

Feel welcome!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...