Isto de ser Mãe...


Sempre disse aos meus filhos que as notas na escola serão sempre um resultado do trabalho deles, haverão as melhores e outras menos boas. Haverão dias em que correrá melhor e outros nem por isso. Mas, é algo natural. Somos todos humanos e poderá acontecer.

Em relação ao comportamento a história é outra, sempre exigi que fosse exemplar. Não que apaguem a sua personalidade e muito menos que sejam todos iguais, mas acima de tudo respeito por eles e pelos outros será a nossa base.

Ensinei-lhes desde muito cedo que gritar não é maneira de comunicar exceto quando algo de grave acontece e precisam de ajuda. Serve de pedido de ajuda, de alerta, nunca para algo normal.
Foi na quinta-feira que saí de casa assustada por ouvir gritos na rua depois do autocarro chegar. Tenho a dizer-vos que vivemos numa zona isolada e qualquer barulho é sinal de alerta mesmo estando em casa. Fui ao encontro deles e perguntei-lhes quem tinha gritado daquela maneira. Foram sinceros mesmo tendo a noção que já estavam metidos numa alhada. Assumiram que foram eles. Perguntei-lhes o porquê de o terem feito. Como é óbvio não souberam explicar.
Foi então que pela primeira vez na minha vida tive que os castigar. Castigo a sério. Não daqueles que lhes dizemos que se vão acalmar no quarto. Não, nada disso. Castigo daqueles que lhes dói até a alma por lhes retirar algo que gostam.
Aqui em casa os videojogos, os telemóveis e informática no geral não faz parte da educação dos meus filhos. Quando precisam de algo da internet eu ajudo, mas nunca sozinhos. Faz parte da educação que lhes quero dar e não é certo nem errado, é a nossa.
Por isso os castigos nunca poderão passar por aí. Proibi-los de irem brincar lá para fora também não o posso fazer porque está a chover. Restava-me o futebol. Caramba. O futebol! Até eu senti um aperto no estômago ao dizer em voz alta "estão proibidos de ir aos treinos de futebol".
O mundo deles parecia que tinha desabado. Choravam como se tivessem sofrido o maior desgosto da vida deles, em silêncio soluçavam e eu, eu senti uma enorme vontade de chorar. Senti-me invadida por uma quantidade de questões que nunca pensei ser possível naquele momento. Estaria eu a exagerar? A ser justa? Caramba que isto de ser Mãe não é fácil, nada mesmo.

As nossas conversas resumiram-se a uma mínima troca de palavras, afinal queria que percebessem que eu estava magoada, assustada e sobretudo desiludida por não terem cumprido com o nosso "pacto" sobre os gritos.
Hoje voltaram aos jogos. 

De manhã fui acordá-los, não sabiam que o castigo seria levantado hoje. Abriram os olhos. Perguntei-lhes se entenderam bem o porquê daquele castigo. Baixaram a cabeça e explicaram. Disse-lhes para se vestirem que iriam hoje aos jogos. Olharam para mim e disseram "Obrigado por seres nossa Mãe".

Caramba! Hoje fizeram-me chorar no duche, enquanto eu me enchia de certeza que vale muito a pena ser Mãe destes três putos.
Como pode ser um castigo tão difícil para aquele que recebe, mas também para quem o dá?!
Às Mães que por aqui andam digam-me que não estou sozinha nesta aprendizagem!

5 comentários:

  1. A minha experiência é de apenas uma filha... dócil mas que de vez em qd fazia o normal de qq criança e desobedecia, procurando "outras modos de viver " .... lol o que acho normal e até saudável mas que não pode passar sem "correcção de rota" e motivos reais do castigo, para que ela percebesse e tentasse não repetir. E esta coisa de eles perceberem pk houve castigo, parte nos o coração mas eu sempre vi isso como uma prova de Amor de Mãe ,incondicional, pois mais facil será para um adulto pregar uma palmada e dizer vais para o quarto e sem mais...
    Comigo e a minha filha sempre funcionou a "não permissão" de transgredir , a aceitação de conversar sobre regras e eventuais efeitos das transgressões. Dá trabalho? Sim...mas vê los chegar aos 30 anos (tem agora a minha filha) e ter sempre ouvido que ela é educada, cumpridora e correcta no trato ...faz me muito feliz e grata por cada segundo que, eu tantas vez cansada de regressar de 24 horas de Serviço de Urgência, me sentava com ela na sala ou no quarto dela e conversávamos sem hora para terminar..... Beijinho grande, Mãe linda de coração...verás o fruto do teu trabalho de Amor para com eles! xi coração! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ai Manela é tão isso que penso. Espero mesmo de coração que se tornem adultos responsáveis, respeitadores e muito felizes. Só lhes peço isso. Um grande beijinho e muito orgulho em tê-la na minha vida como belo exemplo que é para mim 😘😘😘

      Eliminar
  2. Com uma mãe como a Ana os seus filhos serão certamente adultos com uma cabecinha muito bem resolvida.Pela minha parte só eduquei uma filha e o meu maior orgulho é ouvir elogios há pessoa que se tornou.Quanto a mim vou agora enfrentar outro desafio:está a preparar-se para sair de casa e construir a família dela.Não sei se será só comigo mas tenho a impressão que vai ficar um vazio,por outro lado penso positivo : ganhei mais um(filho).Beijinhos!

    ResponderEliminar

Feel welcome!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...