Renasce #1


Pensei em escrever imensas coisas por aqui. Pensei se realmente valeria a pena. E cheguei à conclusão que vale. Tudo vale a pena quando a vontade nasce em mim. E aqui estou eu, sem grande título para aquilo que vos quero dizer, mas o que sempre interessou foi e é o conteúdo certo?

Perguntam-me várias vezes como cheguei "aqui", ao ponto de gostar de quem sou quando tudo começou com o objectivo de emagrecer. E é aqui que tenho de vos dizer que o objectivo nunca foi emagrecer, o emagrecimento é apenas uma consequência da minha busca por amor-próprio. É isso mesmo, uma consequência. Lembro-me do primeiro passo, da primeira consulta. Das primeiras lágrimas e do primeiro misto de sentimentos quando "me pari". Quando voltei a ter vida e comecei a redesenhar aquela miúda. Não era magra, estava no meu peso máximo, 136kg. Isso mesmo. Não gostava nem desgostava de mim. Não tinha sentimentos por mim mesma visto estar vazia e tão cheia de feridas por sarar. Lembro-me de me sentar naquele sofá da sala de espera. De sentir vontade de chorar porque a mudança estaria ali, naquela sala tão cheia de todas as esperanças que nela depositei. "Ana Nogueira", disse aquela Mulher de cabelo curto, magra e voz suave. Levantei a cabeça. Já vos disse que durante anos, quando raramente saía à rua olhava para o chão? E um dia ouvi o Manuel Luis Goucha dizer "andar e olhar para o chão é como pedir desculpa por existir". Mas voltando aquela tarde, levantei a cabeça e tremi, quase me faltava o ar. Sorri, aquele sorriso de "sou eu". Entrei naquela sala, sentei-me e bastou uma pergunta apenas para o coração desatar a chorar. Lembro-me de lhe ter dito apenas um por cento daquilo que me doía. Ela escrevia e eu dava por mim a por palavras naquelas dores que até então tive vergonha em partilhar. Ela não me dizia "é passado", não dizia "esquece isso". Não. Ela estava ali, a ouvir-me. É isso. Isso mesmo que me faltou até então. Um ouvido sem boca para aconselhar ou julgar.
Acho mesmo que a nossa sociedade está com dificuldades em ouvir. Ouvir e calar. Só. Quando penso no quanto desejei falar, desabafar, chorar e ouvir o silêncio em resposta, cheguei à conclusão que falta isso ao ser humano e infelizmente só nos damos conta quando passamos pela necessidade deo ter.
Hoje sei que sou diferente, porque necessitei. Porque no dia em que um amigo me disser "Só quero desabafar", eu vou lá estar com o meu ombro, o meu colo e choraremos juntos se assim tiver de ser para dar espaço aquele desabafo que precisava apenas de silêncio.

Hoje estou longe da Mar, que pediu "ajuda", que me entrou no coração graças a este recente cantinho, hoje já chorei por saber as dores, as incertezas que carrega. Não choro de tristeza. Choro porque acredito, porque me lembro de cada passo e de quão as nossas caminhadas são iguais quando nos deparamos com esta busca de amor-próprio. A dor, o desespero de alguém que não se sabe viva.
A Mar diz que não gosta do corpo que tem. Eu e a Mar sabemos que não é o corpo que precisa de amor, é ELA. A Mar precisa reencontrar-se. Amar a pessoa que é e voltar a ter a certeza que tem todas as possibilidades de ser quem quer ser e de ter o corpo que ambiciona.
Já vos disse que foi uma consequência o meu emagrecimento? Foi, é. E também será para ti Mar. Sábado começas as "aulas de parto". Vais dar vida a uma nova TU. Prepara-te porque não será num estalar de dedos. Vai doer. Vai parecer uma caminhada eterna, e é. Mas cheia de surpresas boas, cheia de desafios vencidos. E só quando voltares a acreditar em ti verás que os braços não voltarão a desistir de te levar para a frente e o teu corpo manter-se-à firme para seguir a tua mente que se tornará invencível. Verás que o amor-próprio nasce de uma caminhada que te trará como presente a força para atingires os teus objectivos, sejam eles quais forem. Vai lá Mar e mostra-te, a ti, que nós renascemos sempre que quisermos.

4 comentários:

  1. (achei que podia responder a este post com silêncio, o tão necessário silêncio, ao simplesmente não comentar. mas assim nunca saberias o quão bem eu percebi este teu texto. por isso, encara este comentário entre parênteses como o silêncio a dar-se a conhecer ;) )

    ResponderEliminar
  2. Obrigada :)

    MY PINK SHOES: Bob, Bob, Bob, it's all about it!! 🙄🙄🙄 Novo post para ver no blog! 😍😍😍 http://mypinkshoestheblog.blogspot.pt/2015/10/its-all-about-bob.html

    ResponderEliminar
  3. Que grande texto!
    Este blog é uma grande inspiração para todas nós :) Obrigada!

    E.H

    ResponderEliminar
  4. Tão, mas tão inspirador este texto, Ana. Obrigada. Uns dias quero perder peso, outros nem estou para aí virada. Mas isto hoje, faz-me crer que eu preciso é de emagrecer a minha atitude em relação ao meu peso.

    Beijinho

    ResponderEliminar

Feel welcome!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...